31 de agosto de 2011

Estudo do ÊXODO

Na Bíblia grega recebeu o titulo de Êxodo, que significa saída. Esse titulo resume o conteúdo do livro, a saída ou libertação dos israelitas do Egito. Porém, o livro não narra apenas a saída do Egito, mas sobretudo, a manifestação de Deus na montanha do Sinai O livro começa a narrar a história do libertador, Moisés.

O livro está assim dividido:

-  Libertação do Egito

-  Caminho pelo deserto do Sinai.

-  A Aliança do Sinai.

A historicidade dos fatos narrados são aceitos unanimemente. Mas trata-se de uma história religiosa e de caráter popular, redigida muito tempo depois dos acontecimentos.

O livro procura ressaltar a intervenção providencial de Deus na libertação e formação do povo eleito. Por isso, o autor sagrado deixa de lado as causas naturais dos acontecimentos e descreve tudo com ação milagrosa de Deus. Não se pode negar a ação divina na libertação de Israel da opressão do Egito, mas não se pode dizer que tudo aconteceu por uma série de intervenções milagrosas durante quarenta anos. 

Pode se dizer que este livro é ponto central do AT, é o Evangelho do AT. Como os Evangelhos este livro contém a Boa Nova da libertação. A experiência fundamental do povo de Israel é a experiência do deus Libertador.

Por isso, as narrações do Êxodo tornaram-se o protótipo de todas as outras libertações. Ainda hoje, estas narrações exercem grande influência. O faraó tornou-se símbolo de todas as opressões e alienações atuais; Israel representa os oprimidos e marginalizados. O próprio NT serve-se muitas vezes da temática do Êxodo. O Concilio Vaticano II definiu a Igreja como “povo peregrino” em busca da Pátria Celeste.


29 de agosto de 2011

Setembro mês dedicado ao estudo bíblico

Este ano o livro para estudo e do ÊXODO!
Um escrito sobre a libertação de um povo oprimido e escravizado pela soberania de um rei.




Ainda hoje somos escravizados por um poder politico onde o pobre está sendo menosprezado e sacrificado o poder faz com que somente o rico tenha voz ativa ....
Deveríamos tentar mudar este quadro !!!!

28 de agosto de 2011

Ninguém nasce catequista.

Aqueles que são chamados a esse serviço tornam-se bons catequistas através da prática, da reflexão, da formação adequada, da conscientização de sua importância como educadores da fé. O catequista exerce um verdadeiro ministério, isto é, um serviço.
Segundo o documento Catechesi Tradendae (A Catequese Hoje) a "atividade catequética é uma tarefa verdadeiramente primordial na missão da Igreja".
O catequista não age sozinho, mas em comunhão com a Igreja, com o grupo de catequistas.
O grupo de catequistas expressa o caráter comunitário da tarefa catequética.
O catequista necessita das seguintes qualidades:

*Ser uma pessoa com equilíbrio psicológico;
*Ter capacidade de diálogo, criatividade e iniciativa, saber trabalhar em equipe;
*Ser perseverante, pontual e responsável;
*Ser participativo, engajado nas atividades da paróquia, da comunidade e ter espírito de serviço;
*Ter vida de oração, leitura e meditação diária da Palavra de Deus;
*Ter espírito crítico e discernimento diante da realidade;
*Ser capaz de respeitar a individualidade de cada pessoa.
Isso não significa que exista uma pessoa que tenha todas essas qualidades, mas que devemos procurar desenvolvê-las no nosso dia-a-dia
E com o grupo que ele revê suas ações, planeja, aprofunda os conteúdos, reza e reflete.

PARABÉNS CATEQUISTAS!

Na missa Homenagearam os catequistas
mostrando o imenso carinho
pelos catequistas de nossa paróquia

Com o coração e a mente em DEUS e os pés na realidade do irmão,
Anunciam com alegria e entusiasmo o que o CRISTO nos ensinou. Para
Transformar a sociedade, construindo a civilização do “AMOR”.
Ergam suas vozes contra as injustiças sejam profetas,
Quando necessário for
Uma vez, duas vezes, três vezes, todos os dias...
Insistir sempre, agredir nunca.
Sejam pessoas de SAL e LUZ, na sua vocação que DEUS lhe confiou.
Trabalhem, com AMOR EFICACIA no MINISTERIO DA PALAVRA.
AMOR, a meta dos vossos caminhos....
                                                                                                 Parabéns pelo seu dia!!!

22 de agosto de 2011

Camisa Origami // dia del padre

Dinâmica: pipoca


Objetivo: demonstrar o que é vocação e suas implicações
Material: milho de pipoca sem estourar e pipoca para comer, se houver possibilidade de estourar na sala do encontro de catequese. Para isso levar todo material necessário.
Execução da dinâmica:
1)   Motivação: Quando vivenciamos grandes momentos, muitas vezes deixamos de observar pequenos acontecimentos e coisas. Estas pequenas coisas podem significar grandes aprendizados para nossa vida. Como por exemplo, “este grão de pipoca” e como se fosse cada um de nós.
2)   Distribuir os grãos: cada um recebe um grão de pipoca crua, pedir que coloquem na palma da mão. Que olhem bem para o pequeno grão e pensem:_O que ele representa em minha vida?_O que é um grão de pipoca?_ Que sentido ele pode ter em minha vida?
                                         i.    (Fazer um momento de silencio)
3)   Partilhando: convidar que falem com breves frases o que meditaram, vendo o grão da pipoca!
4)   Recolher os grãos.
5)   Estourar os grãos.


1ª Momento: Se deixarmos que cada um ficasse com o grão, o que aconteceria?Dá para fazer pipoca com um só grão de milho?Para  se tornar pipoca o que deve acontecer? (breve partilha)

2ª Momento: enquanto estoura a pipoca, refletir através de uma conversa dialogada, cujo conteúdo pode ser.
Aqui temos a panela, o óleo, os grãos e o sal e temos o fogo.
Começaremos a estourar os grãos que passaram por uma transformação.
Os grãos representam cada um de nós.
A panela é como a igreja que nos transforma em filhos de Deus, nós  guarda, protege e alimenta.
O fogo que aquece os grãos representa o fogo do Espírito Santo.
O óleo que colocamos na panela representa a unção que recebemos no batismo o óleo do Crisma.
O sal que sentido teria na nossa vida? a perseverança na, fé o sabor de CRISTO,”Se o sal perder o sabor...”
Conclusão: Observando este grão podemos entender o que é vocação.Cada pessoa tem a sua vocação específica,própria e pessoal.No evangelho lemos que “Jesus crescia em idade,sabedoria e graça,diante de Deus e dos homens”(LC 2,40-52).Este deve ser o projeto para cada um de nós.Somos diferentes,gostamos de coisas diferentes,mas todos temos uma vocação que devemos descobrir conforme crescemos e o nosso desempenho que vai mostrar a nossa vocação ,buscamos um mesmo ideal porém de formas diferentes com o grão da pipoca,que tem o mesmo objetivo mas uns são grandes outros pequenos alguns nem se transformaram assim acontece também com cada um de nós.  

20 de agosto de 2011

DINÂMICAS


Lobos e ovelhas     Objetivo: Estimular a participação nas reuniões e trabalhos

Objetivo: Estimular a participação nas reuniões e trabalhos
Participantes: Todos os presentes no encontro
Material: Local amplo para poder correr.

Descrição:

1 - O coordenador da dinâmica escolhe um jogador e demarca uma zona neutra.

2 - Depois pede para os demais participantes fazerem um círculo ao redor do escolhido, que será o "Lobo".

3 - As ovelhas ficam circulando o lobo e cantando "Vamos passear no bosque enquanto o seu lobo não vem, você já está pronto?"

4 - A cada pergunta o lobo inventa uma nova desculpa, do tipo "não ainda estou me vestindo", assim, após retardar o início do jogo, até que, de surpresa, ele grita: "estou pronto, e lá vou eu!..."

5 - Todas as ovelhas devem correr para a zona neutra para não serem pegas pelo lobo, aquela que ele pegar será o lobo na rodada seguinte.

19 de agosto de 2011

DINÂMICA "Escravos de Jó."


 Escravos de Jó. Objetivo: Quebra-gelo

Esta dinâmica vem de uma brincadeira popular do mesmo nome, mas que nessa atividade tem o objetivo de "quebra gelo" podendo ser observado a atenção e concentração dos participantes.

Em círculo, cada participante fica com um toquinho (ou qualquer objeto rígido).
Primeiro o Coordenador deve ter certeza de que todos sabem a letra da música que deve ser:

Os escravos de jó jogavam cachangá;
os escravos de jó jogavam cachangá;
Tira, põe, deixa o zé pereira ficar;
Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá (Refrão que repete duas vezes)

1º MODO NORMAL:

Os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);
os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);
Tira (LEVANTA O TOQUINHO), põe (PÕE NA SUA FRENTE NA MESA), deixa o zé pereira ficar (APONTA PARA O TOQUINHO NA FRENTE E BALANÇA O DEDO);
Guerreiros com guerreiros fazem zigue (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA), zigue (VOLTA SEU TOQUINHO DA DIREITA PARA O COLEGA DA ESQUERDA), zá (VOLTA SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA) (Refrão que repete duas vezes).

2º MODO: 
Faz a mesma sequência acima só para a esquerda

3º MODO: 
Faz a mesma sequência acima sem cantar em voz alta, mas canta-se em memória.

4º MODO: 
Faz a mesma sequência acima em pé executando com um pé.

5º MODO: 
Faz a mesma sequência acima com 2 toquinhos, um para cada lado.

VOCAÇÔES




Em nossa origem divina e humana, feitos à imagem de Deus, somos todos missionários na essência de nosso ser. Cada pessoa, onde quer que se encontre, tem uma missão a viver e a cumprir. Ninguém é maior, ninguém é menor. Na fé cristã, o valor de alguém, não se mede pelo cargo que ocupa, mas, pelo amor que se vive. Somos membros vivos uns dos outros. Todos são necessários.
Essa consciência do valor da vida nos leva ao dever de compromisso na solidariedade com todos, principalmente com os mais pequeninos e necessitados de nosso mundo. Santo Agostinho afirma: “A maior glória de Deus é a dignidade do homem”.
É, portanto, impensável viver a fé sem a consciência de um compromisso sério de comunhão com Deus e com os irmãos. “Quem diz amar a Deus a quem não vê e não ama o irmão a quem vê, se engana a si mesmo e é mentiroso” (1Jo.4,20-21).

Como cristãos, devemos permanentemente nos questionar sobre as exigências práticas de nossa vocação e vida cristã. Como valorizamos nossa vida e a vida de todos que nos cercam? Que tempo investimos no cultivo dos valores da vida em família, na comunidade e na Igreja? É bom saber. Valor não é um conceito e nem apenas um conhecimento, mas, um bem que investimos e levamos a sério em nossa vida.
Esta é a verdade. No amor somente se partilha aquilo que se é. “Ama teu próximo como a ti mesmo” Lc.10,27. Quem não se ama e não é honesto consigo não ama a ninguém. Como querer transformar os outros, o mundo, se por primeiro não nos transformamos a nós próprios? Sem dúvida, o mundo precisa de doutores e de teólogos, mas precisa acima de tudo de pessoas que vivam sua fé. Neste mês em que à Igreja nos convida a refletir sobre a vocação, somos convidados a pensar sobre que valor damos a nossa vida e a vida de todos. Sem dúvida, faz muito sentido refletir sobre como cada um vive em família, na comunidade, na Igreja e em sua missão específica no mundo. 

Comemoração do dia dos pais



ACOLHEMOS COM CARINHO OS PAIS DOS CATEQUISANDO!!
no pátio da igreja numa manha bem ensolarada!!!



                TERMINAMOS  COM O PADRE FRANCISCO DANDO A  BENÇÃO  AOS PAIS.